Vrikshasana – Postura da Árvore

BhiaBeatriz      quarta-feira, 23 de maio de 2018

Compartilhe esta página com seus amigos

Quando falamos sobre as posturas do Yoga (Asanas), invariavelmente, dedicamos especial atenção aos inúmeros benefícios oferecidos por cada postura. Claro que isso é importante, mas com certeza não é tudo.

No caso de Vrikshasana, a famosa postura da árvore, por exemplo, sabemos que é uma postura de equilíbrio que pode ser executada em vários níveis de dificuldade, que é uma das posturas mais fotografada e divulgada nas redes sociais, que ela por si só, é um símbolo dessa prática milenar chamada Yoga que hoje já é conhecida no mundo todo.

Sabemos que entre os seus benefícios estão: equilíbrio, consciência de ligação com a terra e ao mesmo tempo com o cosmos, acalma e ancora a mente, desenvolve a intuição e a sabedoria, fortalece as pernas e pés, melhora a postura, trabalha intensamente o nosso senso de aterramento e segurança e atua, especialmente, sobre o primeiro chakra (Muladhara ou chakra raiz), quarto chakra (Anahata ou chakra do coração), sexto chakra (Ajna ou chakra do conhecimento) e sétimo chakra (Sahasrara ou chakra da coroa).

Vrikshasana é uma das pouquíssimas posturas em pé que ativa o ajna chakra, localizado entre as sobrancelhas. Por isso, é recomendado manter o olhar num ponto fixo à sua frente, na linha do horizonte, ou seja, na altura dos olhos durante todo o tempo de permanência na postura. A ativação deste centro nos permite ter acesso às nossas camadas mais escondidas e a permanência na postura facilmente pode nos colocar na situação de observadores de nós mesmos. Os Mestres recomendam, que sempre que tivermos algo complicado para resolver, uma decisão difícil a tomar, devemos praticar Vrikshasana todos os dias para que tenhamos equilíbrio, sabedoria e discernimento nas nossas escolhas.

Quando colocamos nossos alunos em Vrikshasana recomendamos que aproveitem esse momento para se conectarem com a energia da natureza, que tragam para sua tela mental a imagem das árvores e pensem em seu importante papel em nossas vidas. E em seguida, que sintam os polegares tocando no centro do peito e se conectem com a natureza do seu próprio Ser, que reconheçam o que os move, como se movem e como sentem a vida que pulsa em seus corações.

Que possamos ser como as árvores, que independente do lugar onde nascem ou vivem quer sejam frágeis ou majestosas, cumprem com maestria o seu papel na Terra, sem questionamentos. Que possamos entender que a nossa missão na Terra talvez seja apenas viver e ser feliz. Simples assim!

Comentários

Leia Também ...

Aulas Regulares de Dança Indiana

Faça uma Aula Experimental