Rishikesh

Maria Helena Lakshmi - Instrutora de Yoga, Publicitária e Escritora      quarta-feira, 28 de março de 2018

Compartilhe esta página com seus amigos

Rishikesh, no distrito de Dehradun, no estado indiano de Uttarakhand, situada aos pés do Himalaia no norte da Índia, é conhecida como a “Capital Mundial do Yoga”. Fica a aproximadamente 25 km ao norte de Haridwar e a 43 km a sudeste da capital estadual, Dehradun. Rishkesh é conhecida como lugar de peregrinação e reconhecida como um dos lugares mais sagrados para os hindus. Santos e sábios hindus visitam Rishikesh desde a antiguidade em busca de elevação espiritual e autoconhecimento.

Em função da importância religiosa do lugar, comidas não vegetarianas e bebidas alcoólicas são estritamente proibidas por Lei em Rishikesh, sendo assim considerada pelos hindus uma cidade sagrada e estritamente vegetariana.

O sagrado Rio Ganges corre pelo meio de Rishikesh, logo que deixa a serra de Shivalik nos Himalaias e se dirige às planícies do Norte da Índia. A cidade une suas duas partes por uma extensa ponte desafiadora de se cruzar. Por ela não passam carros, somente gente, a pé ou de bicicletas, vacas e macacos. Uma travessia imprescindível e incrível. Vários templos hindus, tanto antigos quanto recentes, situam-se às margens do Ganges em Rishikesh. Aqui se respira Yoga, devoção, espiritualidade e junto a tudo isso, um comércio intenso de roupas coloridas, incensos, instrumentos musicais, comidas, japa malas, CDs, livros, estatuetas de Deidades, guirlandas de flores, oferendas e muito, muito mais coisas que nossa mente ocidental não consegue registrar.

Minha experiência ao visitar Rishikesh foi indescritível, um turbilhão de emoções e sentimentos a cada passo. Muita gente pelas ruas e becos, muita cor, muitos olhares intensos e grandes sorrisos nos rostos de toda essa gente simples, que adora pousar para fotos. Eles não querem as fotos para eles, só querem estar nas fotos junto com a gente, se contentam com tão pouco, ficam felizes só de olhar as fotos e depois seguem seus caminhos. É emocionante.

Em Rishikesh participei de vários rituais inesquecíveis, Arati, oferenda de luz, à beira do sagrado Ganges, com uma multidão de pessoas cantando mantras e passando uma bandeja com luzes de mão em mão, tudo isso diante de uma gigantesca estátua de Shiva, o pai do Yoga, que habita uma plataforma enorme sobre as águas do rio. Um Satsanga no Sivananda Ashram, que começou dentro de casa e terminou sobre uma estranha escadaria à beira do Ganges, com Prasad, alimento consagrado, e novamente oferenda de luz, Arati, entre as pessoas e também ao Ganges.

Porém, de todos os rituais o que mais me arrebatou, foi entrar em um modesto Templo de Lakshmi e, ao estar diante da Grande Deus da Prosperidade material e espiritual, tocar três vezes um enorme sino e com muita emoção, com lágrimas escorrendo pelo rosto, dizer: Lakshmi, eu estou aqui, eu consegui chegar, eu estou diante de Ti.

Om Shrim Maha Lakshmie Namaha.

 

Comentários

Leia Também ...

Aulas Regulares de Dança Indiana

Faça uma Aula Experimental